terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

The Clash II - Patriots of the Wasteland (10/02/1984)




Qual foi o ultimo disco do Clash? A maioria irá dizer "Combat Rock", de 82. E quando o Clash acabou? Em geral, há dificuldade de se responder essa pergunta. Tudo isso por causa da saída do Mick Jones em 83, quando todos consideram que o Clash acabou.

O último disco do Clash foi o "Cut the Crap", em 85; e a banda acabou em 86. Após serem a maior banda do mundo em 82 - a abertura do show do Who naquele ano funcionou como uma espécie de "coroação" -, o baterista Topper é demitido e o maior responsável pela parte musical, Mick Jones, levou cartão vermelho pouco depois. Aquele Clash que o mundo aprendeu a gostar, acabou. E Joe Strummer resolve voltar com um novo, completamente diferente, que ficou conhecido como Clash II.

Para começar, mais dois guitarristas jovens e sem a bagagem glam de Mick. Na bateria, um outro garoto extremamente técnico, mas sem a versatilidade Topper.

Joe queria voltar ao Clash de 76. E estava conseguindo.

Músicas como "Three Card Trick" e "Ammunition" faziam aqueles que continuavam a seguir a banda perguntar: "who the is hell is Mick?". E Strummer, sempre provocativo, incendiava a platéia sugerindo que os pró-Mick e os contra deveriam brigar para verem quem tinha a razão.

Ah, Joe...

E as músicas que iriam fazer parte do novo disco do Clash estavam ficando cada vez melhores: "Glue Zombie", Pouring Rain", "Sex Mad War". A banda volta às canções-slogans até que um certo Bernie Rhodes volta à ativa.

Bernard (Bernie) Rhodes, para quem não conhece, era amigo de Malcolm McLaren. Alguns diziam que era um discípulo. O fato era que, enquanto Malcolm partiu para empresariar os Sex Pistols, Bernie Rhodes foi tomar conta do Clash. Entretanto, assim como o seu amigo, ele exagerava um pouco e foi demitido.

Ele também empresariava os Specials, embora não tenha ficado muito tempo. Entretanto, foi o suficiente para ser homenageado com uma música ("Gangsters", primeiro single da banda) que tinha o refrão de "Bernie Rhodes sabe/não discuta!.

Recontratado pelo Clash na década de 80 para que eles pudessem voltar a ser uma banda, Bernie falha e vê o grupo desintegrar-se. No Clash II, limita-se a ser um empresário, até que chega a hora de gravar o "Cut the Crap".

A partir daí, ninguém mais sabe o que aconteceu. Chris Knowles, biógrafo da banda e, para mim, quem melhor a entendeu (e quem, acredito eu, me fez ter vontade de estudar jornalismo), tem a seguinte teoria:

- O disco é de Bernie Rhodes. Ao comparar as versões ao vivo dos bootlegs com as que foram lançadas, você não acredita no que fizeram. Para mim, Joe já sabia que a banda já tinha acabado e simplesmente deixou Bernie Rhodes acabar o disco, tanto é que, alguns anos depois, ele deu algumas entrevistas lamentando ter dado esse disco ao mundo.

E é bom lembrar que Paul só chegou a gravar duas faixas.

A verdade é que Bernie escreveu várias das músicas. E, provavelmente, o fez sozinho no caso daquelas que não tinham sido tocadas em 84-85.

Se você tem o "Cut the Crap", apague as músicas da sua cabeça e ouça esse disco. Se você não tem, ouça e saiba que o Clash ainda poderia ter sido a maior banda do mundo por muito mais tempo.

Aliás, ela ainda é.

Abaixo, tem um clipe com imagens doJoe Strummer com o áudio de uma versão ao vivo de "Three Card Trick". Ignorem as imagens



Link: The_Clash II - Patriots of the Wasteland

1 comentários:

Billie MacGowan on 16 de outubro de 2008 09:03 disse...

you think you could upload this one again? pensas que puedes mieter el disco a disposicciòn, porquè el expirò?

sorry not to speak portuguese, escujame si no hablo portuguese :)

 

Two Sevens Clash. Copyright 2008 All Rights Reserved Revolution Two Church theme by Brian Gardner Converted into Blogger Template by Bloganol dot com